A história de Rodolfo e do Café Fradinho

Whatsapp Facebook Twitter Linkedin Email

Rodolfo Penteado Sanches é morador da Vila Madalena há 30 anos. Trabalha e mora no mesmo local onde funciona sua casa, sua oficina e escola de design de joias e seu restaurante, o Café Frandinho.

A história do Rodolfo é daquelas complicadas, mas que carrega coisas muito boas. Em fevereiro de 2002 o então mestrando em sociologia tirou 5 dias de férias e viajou para Juqueí junto com sua esposa, cunhado e os dois filhos pequenos – o menino com três anos e a filha 10 meses. Depois de aproveitar o sol e a praia no litoral norte de São Paulo, Rodolfo começava a carregar o seu carro com as bagagens quando foi surpreendido por três jovens. Os rapazotes eram magros e estavam com as camisetas cobrindo seus rostos. Era um assalto. Rodolfo percebeu que as crianças estavam nervosas e que cada um deles mal conseguia segurar os resolveres que carregavam. Foi então que o joalheiro ofereceu todo seu dinheiro e disse para que os meninos levassem qualquer coisa que quisessem, incluindo seu carro. Porém, pelo nervosismo e sem saberem direito, segundo Rodolfo, um dos meninos simplesmente acabou disparando a arma e acertou Rodolfo. O projétil entrou por trás de sua orelha esquerda se alojando em sua cabeça, os meninos fugiram sem levar nada.

Ao ver que seu marido havia sido atingido, sua esposa, na época, e seu então cunhado levam-no para Santa Casa de Boiçucanga, onde é decidido que o homem baleado deve ser levado de helicóptero para São Paulo. Foi então que o médico de plantão afirmou que não autorizaria a retirada de Rodolfo, pois o caso seria um óbito certo. Os familiares do ferido saem em busca de um médico particular que aprovasse que Rodolfo fosse para a capital paulista e começam a enfrentar a burocracia de um convênio médico particular para alugar um helicóptero. Depois de conseguirem autorização e um meio de transporte Rodolfo chega ao Hospital Santa Isabel, em São Paulo. Lá, os doutores tentam de tudo para salvá-lo com os melhores métodos e medicamentos que têm a disposição.

O médico responsável então fala com Rodolfo, que estava consciente, e diz que não conseguirá salva-lo, pois a pressão está muito elevada. Rodolfo conta que nesse momento pensou que se saísse vivo fundaria uma ONG para ajudar crianças em caso de pobreza e envolvidas com violência, como as que atiraram nele. Dito e feito. Rodolfo saiu vivo e pouco tempo depois abriu a Associação de Agricultura Familiar Sustentável do Vale do Ribeira, em uma região muito pobre no Vale do Ribeira, mais especificamente em Sete Barras. Nessa área localiza-se a reserva natural de palmito do estado de São Paulo. O palmito é extraído de determinadas espécies de palmeiras que estão em extinção, o que torna esse alimento valioso. As crianças de Sete Barras são captadas para roubar o palmito dessas reservas e entregar a pessoas vendem o alimento contrabandeado. Muitas vezes esses jovens passam a fazer parte do mundo do crime e muitas vezes são presos, espancados pela polícia e até mortos.  

A ONG Agrisol Vale foi criada com a ajuda da família do Rodolfo e é presidida por seu pai. Ela trabalha com 27 famílias de pequenos agricultores e tem como projeto a recuperação de meninos da região.

O problema é que o pai de Rodolfo está muito doente e devido a isso a ONG e seus programas tiveram que ser desativados, pois estão sem verba. Entretanto, a pessoa jurídica ainda existe, assim como contador e todas as despesas. A ideia de Rodolfo foi então reformar sua casa e a escola de design. Desativou sua loja, passou a morar nos fundos do imóvel onde na parte superior funciona a escola e na parte da frente, no quintal, ele abriu um restaurante. Dando aulas Rodolfo consegue o dinheiro necessário para ajudar seus filhos. Já com o novo negócio, o Café Fradinho, ele pega toda a renda e investe na ONG.

O Café Fradinho é um restaurante vegano e macrobiótico. Rodolfo passou a acreditar e investir na macrobiótica depois que teve que tomar uma série de remédios tarja preta devido ao tiro que levou, mas se opôs ao tratamento tradicional e se recuperou por meio de métodos alternativos e mudanças em sua alimentação. Para ele, se alimentar de uma maneira saudável é uma questão política e de saúde pública.

O café Fradinho fica na Rua Fradique Coutinho, 1157 e funciona de domingo a domingo, das 07:00 às 23:00, servindo café da manhã, almoço e sopa nos jantares. Todos os dias é possível encontrar o Rodolfo, que está sempre ali pra conversar, contar sua historia e pregar as coisas que ele acredita em relação a uma boa alimentação e a vida.

Contatos:

Café Fradinho – www.facebook.com/pages/Caf%C3%A9-Fradinho/263668347353678?fref=ts

Ateliê Rodolfo Penteado – www.rodolfopenteado.com.br

ONG Agrisol Vale – www.facebook.com/Agrisol-Vale



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *